Pular para a Navegação Principal

O Dia do Senhor no Lar

Elder Alessandro Dini-Ciacci, Itália
Elder Alessandro Dini-Ciacci, Itália Setenta de Área

No seu discurso da Conferência Geral de abril de 2015, “O Dia do Senhor é Deleitoso”, o Elder Russell M. Nelson convidou-nos “a examinar os [nossos] sentimentos acerca do Dia do Senhor”1.

Ele aconselhou-nos a buscar inspiração no mandamento de santificar o dia do Senhor e disse: “Aprendi com as escrituras que a minha conduta e a minha atitude ao sábado constituíam um sinal entre mim e o meu Pai Celestial. Com esse entendimento ... quando eu tinha que decidir se uma atividade era ou não apropriada para o dia do Senhor, eu simplesmente perguntava a mim mesmo: “Qual é o sinal que quero enviar para Deus?”.2

Essas palavras fizeram com que eu e a minha esposa, Sara, pensássemos no sinal3 que estávamos a enviar para Deus nas coisas que fazíamos aos domingos. Percebemos que não precisávamos de fazer grandes mudanças, mas achámos que deveríamos começar a prestar mais atenção às pequenas coisas. Nós já íamos à igreja todos os domingos. Nós abstínhamo-nos de trabalhar, de praticar desporto, de estudar ou de qualquer outra atividade que levasse outros a ter de trabalhar no Dia do Senhor. Deste modo, buscámos inspiração para entender que passos precisávamos dar para seguir este convite de um apóstolo vivo.

Certo domingo à tarde, os nossos filhos pediram-nos para jogar um dos seus jogos de tabuleiro favoritos. A finalidade do jogo era responder corretamente ao maior número de perguntas possível. As perguntas eram sempre muito difíceis de responder para as crianças, mas a verdadeira razão pela qual os nossos filhos gostavam de jogar este jogo era o facto de cada jogador ter uma lanterna e um apito ruidoso.

Eu estava pronto a dizer-lhes para escolherem uma atividade diferente, quando a Sara anunciou que íamos jogar o jogo que as crianças haviam sugerido, mas com duas condições: (1) ela faria todas as perguntas; (2) não usaríamos as perguntas dos cartões, mas ela mesma criaria quatro novas categorias, todas elas centradas no evangelho. Quando já estava tudo a postos, fiquei a imaginar como a Sara conseguiria inventar tantas perguntas relacionadas ao evangelho, sabendo todas as respostas certas e garantindo que cada pergunta estaria ao nível de cada criança. Para além disto tudo, ela teria que fazer tudo de improviso. Eu achei que iria ser um desastre. No entanto, quando começámos a jogar, rapidamente se tornou evidente que o desejo de uma mãe de deixar os seus filhos brincar e, o desejo de uma filha de obedecer ao mandamento do Seu Pai Celestial de santificar o dia do Senhor tinha dado ao Espírito Santo a oportunidade de inspirar uma mãe a encontrar uma forma de santificar o Dia do Senhor e de o tornar deleitoso para os seus filhos.

Fui então lembrado das palavras proferidas por Néfi: “E aconteceu que eu, Néfi, disse a meu pai: Eu irei e cumprirei as ordens do Senhor, porque sei que o Senhor nunca dá ordens aos filhos dos homens sem antes preparar um caminho pelo qual suas ordens possam ser cumpridas.”4 Quando o Senhor nos pede algo, seja diretamente ou através dos nossos líderes, às vezes pensamos que não podemos fazê-lo, mas se pedirmos inspiração e estivermos dispostos a agir, Ele abrirá um caminho onde pensávamos não existir.

O Domingo é um dia que aguardamos com ansiedade. Neste dia especial, fortalecemos o nosso relacionamento com Deus e com o Salvador, indo à igreja e participando do sacramento. Neste dia especial, fortalecemos a nossa família por meio de atividades familiares saudáveis que nos aproximam mais uns dos outros e de Deus. Passar tempo juntos aos domingos de formas que nos ajudam a lembrar e a honrar a Deus ajudou-nos a fazer deste dia um “deleite”5.


[1]Russell M. Nelson, “O Dia do Senhor é Deleitoso”, Liahona, maio de 2015.

[2]Ibid

[3]Êxodo 31:13.

[4]1 Néfi 3:7

[5]Isaías 58:13.