Pular para a Navegação Principal

Sem Eles, Não Podemos Ser Aperfeiçoados

Mensagem da Liderança da Área

David P. Homer
David P. Homer, Suíça Setenta de Área

Durante os últimos meses da sua vida, o Profeta Joseph Smith refletiu frequentemente sobre a importância das ordenanças vicárias pelos mortos.[1]  Ele considerava o trabalho pelos nossos antepassados tão importante que ensinou que “a sua salvação é necessária e essencial à nossa salvação . . . que eles, sem nós, não podem ser aperfeiçoados - nem podemos nós, sem nossos mortos, ser aperfeiçoados.”[2]

É fácil ver como o trabalho vicário realizado pelos nossos antepassados permite que estes sejam aperfeiçoados visto que, sem nós, não poderiam receber as ordenanças essenciais para a sua salvação.  O que pode ser mais difícil de entender é a forma como “os nossos mortos” nos podem ajudar a ser perfeitos. Embora esta referência possa ser um conceito geral que denota os mortos de todos os que estão vivos, também pode ter um significado mais pessoal, incentivando-nos a encontrar os “nossos [próprios] mortos”, pois este processo ajudar-nos-á a progredir. 

Encontrar antepassados traz o Espírito de Elias para a nossa vida, o qual nos refina e fortalece. Sei disto por experiência própria. A extensa genealogia levada a cabo pelos membros da minha família torna a procura de antepassados, por quem as ordenanças do templo possam ser realizadas, um verdadeiro desafio. Recentemente, um amigo que é especialista em história da família, ajudou-me a encontrar um antepassado que nunca havia sido encontrado. É difícil para mim descrever o que senti naquele dia. Quando preparámos o seu nome para enviar para o templo, fui arrebatado. Parecia que ela já estava há muito tempo esperando por aquele momento. Senti a influência refinadora do Espírito. E tal como aqueles que ouviram o rei Benjamin, o meu coração parecia ter mudado.[3]  Eu quis ser uma pessoa melhor. Queria ser fiel, para que um dia a pudesse ver e agradecer-lhe por ter influenciado a minha vida.

Encontrar os nossos antepassados também nos fortalece pois, ao estudarmos as suas vidas, aprendemos lições que se aplicam à nossa. No inverno de 1847, Russel King Homer, estava entre os santos de Winter Quarters que se preparavam para partir para Utah e se encontrarem com Brigham Young, no final daquele mesmo ano. Três dias antes da viagem, o Elder Heber C. Kimball, membro do Quórum dos Doze Apóstolos, aproximando-se de Russel pediu-lhe que fizesse um sacrifício. Ele deveria ficar para trás e doar o seu carroção, os membros da sua equipa e os seus mantimentos, para que outros fossem no seu lugar.[4]

Deve ter sido um grande desafio para o Russel ver outros a levar as suas coisas e a partir no seu lugar. No entanto, em vez de resistir à ideia ou ficar ressentido com a sua situação, ele simplesmente seguiu em frente, confiando que tudo seria pelo melhor. Nos anos seguintes ele ajudou milhares de santos nos seus preparativos finais para atravessar as planícies rumo a Utah. Por fim, em 1859, ele fez a sua viagem, como líder de uma companhia de carrinhos de mão rumo ao oeste, onde se estabeleceu com a sua família e ali viveu o resto dos seus dias.[5]

Quando a vida me traz desapontamentos, ou exige que eu faça algo difícil, lembro-me do meu trisavô, Russel King. E em vez de tentar resistir ou ficar ressentido com os desafios que vêm na minha direção, eu prossigo em frente, tal como ele, confiando que tudo será pelo melhor. De uma forma muito real, as experiências e as lições da sua vida ajudam-me a ser melhor.

Não admira que o Profeta Joseph tenha refletido tão frequentemente sobre esta doutrina fundamental. Encontrar os “nossos mortos” é essencial para a nossa salvação pois traz o Espírito ao nosso coração e ensina-nos lições que melhoram a nossa vida. Esta doutrina é deveras importante uma vez que “sem nós não podem ser aperfeiçoados - nem podemos nós, sem os nossos mortos, ser aperfeiçoados.” 



[1] Doutrina & Convénios 128:1

[2] Doutrina & Convénios 128:15

[3] Ver Mosias 5:2

[4] History of Russel King Homer, por William E. Homer, 2015, página 61

[5] Ver lds.org, Mormon Pioneer Overland Travel