Pular para a Navegação Principal

O Dia do Senhor no Lar

O dia do Senhor no lar
ElderAdler200x250.jpg
Elder Detlef H Adler Alemanha Setenta de Área

“E havendo Deus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.

E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou …” (Génesis 2:2-3)

Logo no início desta Terra, aprendemos que havia um dia santificado e destinado a ser um dia de descanso.

Mais tarde, o Senhor sentiu que seria necessária uma definição mais clara e deu-nos o mandamento:

“Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.

Mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.

Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou.” (Êxodo 20: 9-11)

Esta definição mais clara era necessária pelo que “...Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados, porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifica.” (Êxodo 31:12-13)

Os Israelitas receberam e criaram leis extremamente detalhadas em relação ao Dia do Senhor, que o Salvador corrigiu durante o seu ministério terreno.

O Salvador criticou os Líderes da altura, e declarou: “...O Sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do Sábado. Assim, o Filho do Homem é Senhor até do Sábado.”

Em 1831, recebemos mais esclarecimentos por meio de uma revelação que nos diz:

“E para que mais plenamente te conserves limpo das manchas do mundo, irás à casa de oração e oferecerás teus sacramentos no meu dia santificado;

Porque em verdade esse é um dia designado para descansares de teus labores e prestares tua devoção ao Altíssimo;...” (D&C 59:9-10)

O Presidente Nelson declarou: “Deus deu-nos este dia especial, não para diversão ou realização de trabalhos do dia a dia, mas sim para descansarmos dos nossos deveres, e obtermos alívio físico e espiritual.” (Liahona, maio 2015, “O Dia do Senhor é Deleitoso”)

Estes são os princípios que recebemos, esclarecidos e explicados, repetidamente, pelos profetas modernos.

Os valores do mundo em que vivemos mudam de dia para dia.

Atualmente, muitos países do mundo fazem do Domingo um dia fantástico para fazer compras no centro comercial, tornando-o, simplesmente, num dia de diversão!

Nós, como Santos dos Últimos Dias, vivemos neste mundo e somos conhecidos pelo Senhor. Temos o privilégio de ser ensinados pelos profetas, videntes e reveladores que nos dão as ferramentas essenciais para podermos decidir.

Já não nos é dado um Livro de Mandamentos, mas sim instruções de como podemos aprender a escolher o que é certo!

Temos de assumir a responsabilidade e aprender a decidir!

“Faze o bem, escolhendo o que é certo,

“Faze o bem, escolhendo o que é certo,

Quando apresentar-se a ocasião.

Quando apresentar-se a ocasião.

O Espírito Santo estará perto

O Espírito Santo estará perto

Para inspirar-te a decisão.

Para inspirar-te a decisão.

Faze o bem!  Faze o bem!

Faze o bem!  Faze o bem!

E a verdade vencerá.

E a verdade vencerá.

Faze o bem! Faze o bem!

Faze o bem! Faze o bem!

E Deus as bênçãos te dará.” (Hinário, pág. 148)

E Deus as bênçãos te dará.” (Hinário, pág. 148)

Nesta canção maravilhosa, aprendemos acerca de “Como” decidir e a aplicação que isso tem na nossa vida.

Devemos começar por perguntar-nos qual o sinal que estamos a transmitir ao Senhor e depois estudar, ponderar e pedir com fé e com um coração sincero, para que consigamos compreender os sussurros do Espírito santo!

Presto o meu testemunho de que receberão uma resposta e, acima de tudo, encontrarão paz neste mundo neste sétimo dia, no dia do Senhor e isso será um deleite!