Pular para a Navegação Principal

Os Mórmons e a Poligamia: Antes e Agora

Os Mórmons de hoje são estritamente proibidos de praticar a poligamia.

Os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Igreja LDS), por vezes chamados de Mórmons, acreditam que o casamento entre um homem e uma mulher é o padrão de Deus para o casamento, exceto em ocasiões específicas em que Deus declarou um padrão diferente (ver ”O Casamento Plural e as Famílias Polígamas nos Primórdios de Utah Utah,” lds.org/topics/plural-marriage-and-families-in-early-utah). Os Santos dos Últimos Dias acreditam que, nos meados do século 19, alguns líderes e membros da Igreja foram ordenados por Deus a iniciar a prática do casamento plural, também conhecido como poligamia, ou o casamento de um homem a mais do que uma mulher (ver “O Casamento Plural em Kirtland e Nauvoo,” lds.org/topics/plural-marriage-in-kirtland-and-nauvoo). Em 1890, o Presidente da Igreja Wilford Woodruff foi inspirado por Deus a emitir uma declaração que levou ao fim da prática da poligamia pelos membros da Igreja (ver Declaração Oficial 1, ver também Jed Woodworth,  “O Mensageiro e o Manifesto,” série Revelações em Contexto, 23 de Junho de 2015, history.lds.org). Hoje em dia, a Igreja proíbe estritamente a poligamia (ver “Poligamia,” saladeimprensamormon.org.cv).

Porque é que os primeiros Mórmons praticaram poligamia?

Os Mórmons acreditam que Deus ordenou aos primeiros Santos dos Últimos Dias que praticassem poligamia durante um certo período de tempo. Embora os Santos dos Últimos Dias, atualmente, não conheçam todas as razões que levaram a este mandamento de Deus, eles compreendem algumas das razões que levariam Deus a ordenar a prática da poligamia. A título de exemplo, o Livro de Mórmon ensina que os homens devem ter uma única esposa (ver Jacó 2: 27-29), a menos que o Senhor queira “suscitar posteridade para [Ele]” (Jacó 2:30). A prática do casamento plural pelos primeiros Santos dos Últimos Dias levou a um aumento do número de filhos nascidos de membros da Igreja. Os primeiros Santos dos Últimos Dias também acreditavam que o estabelecimento de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias incluía uma restauração dos princípios e práticas antigas, conforme ensinado na Bíblia. Vemos claramente na Bíblia que diversas figuras bíblicas proeminentes—inclusive Abraão, Isaque, Jacó, Moisés e Davi—praticavam poligamia (ver: “O Casamento Plural em Kirtland e Nauvoo,” lds.org/topics/plural-marriage-in-kirtland-and-nauvoo).

Como era a prática da poligamia entre os primeiros Mórmons?

A prática da poligamia foi difícil para muitos dos primeiros Mórmons. Esta levou a uma perseguição feroz por parte dos que não pertenciam à Igreja tendo ido contra a sensibilidade de muitos dos membros, especialmente quando foi apresentada pela primeira vez (ver “O Casamento Plural em Kirtland e Nauvoo,” lds.org/topics/plural-marriage-in-kirtland-and-nauvoo). Por vezes, também originou dinâmicas familiares difíceis e levou a pressões financeira nas famílias Mórmons polígamas que procuravam ganhar o seu sustento no agreste solo do Oeste Americano (ver ”O Casamento Plural e as Famílias Polígamas nos Primórdios de Utah Utah,” lds.org/topics/plural-marriage-and-families-in-early-utah).

Outros houve que permaneceram membros fiéis à Igreja, mas optaram por não praticar o casamento plural. Por oposição, alguns rejeitaram a ideia da poligamia e decidiram abandonar a Igreja (ver “O Casamento Plural em Kirtland e Nauvoo,” lds.org/topics/plural-marriage-in-kirtland-and-nauvoo). O divórcio era facilmente acessível aos Mórmons que se sentiam infelizes em casamentos polígamos (ver “Polygamy Then and Now,” mormonnewsroom.org). No entanto, os primeiros Mórmons a praticar a poligamia acreditavam estar a seguir um mandamento de Deus e acreditavam que seriam abençoados pela sua obediência. Para além disso, muitas famílias Mórmons polígamas eram felizes, calorosas e amorosas (ver “O Casamento Plural e as Famílias Polígamas nos Primórdios de Utah Utah,” lds.org/topics/plural-marriage-and-families-in-early-utah).

Os Mórmons de hoje são estritamente proibidos de praticar a poligamia.

Atualmente os Mórmons acreditam na poligamia?

Atualmente, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias proíbe a prática da poligamia. Gordon B. Hinckley (1910-2008), um antigo presidente da Igreja, explicou a posição da Igreja em relação à poligamia:

“Desejo afirmar categoricamente que esta Igreja não tem nada a ver com a prática de poligamia. . . .

“Se algum dos nossos membros for encontrado a praticar o casamento plural, será excomungado, a pena mais séria imposta pela Igreja. Ele está, não só a violar as leis civis, como também as leis desta Igreja. Uma regra da nossa fé vincula-nos a obedecer. Esta declara: ‘Cremos na submissão a reis, presidentes, governantes, e magistrados; na obediência, honra, e manutenção da lei.’ (Regras de Fé 1:12). Não se pode obedecer e desobedecer às leis em simultâneo…”.

“Há mais de um século, Deus revelou claramente ao seu profeta Wilford Woodruff que a prática do casamento plural deveria ser descontinuada, o que significa que agora, esta mesma prática, é contra a lei de Deus. Mesmo em países onde as leis civis ou religiosas permitem a poligamia, a Igreja ensina que o casamento deve ser monogâmico e não aceita que os seus membros praticam o casamento plural” (“What Are People Asking about Us?” Ensign, nov. 1998, 71–72).

Quais as crenças Mórmons em relação ao casamento e à família?

Os mórmons acreditam que o casamento entre um homem e uma mulher é uma parte importante do plano de Deus para os Seus filhos. Para saber mais acerca das crenças Mórmons em relação ao casamento e à família, visite o site mormon.org.